“O milionário mora ao lado”, de William Danko e Thomas Stanley

Em média, os milionários gastam muitas horas por mês a mais estudando e planejando suas decisões de investimento futuras e gerenciando seus investimentos atuais do que os não-milionários de alta renda.

Como vivem os milionários? Em mansões nas áreas mais ricas das grandes cidades, dirigindo carros de luxo? Comprando em ateliers exclusivos? Ostentando joias?

Longe disso.

O estilo de vida dos verdadeiros milionários norte-americanos foi dissecado no livro O milionário mora ao lado (The Millionaire Next Door), escrito após anos de entrevistas e pesquisas, e que nos traz conclusões surpreendentes.

O livro não trata de pessoas como Donald Trump, Warren Buffet e Beyonce. Ele estuda milionários de 1ª geração, pessoas que construíram suas próprias fortunas, sem heranças ou grandes golpes de sorte, em ocupações bastante comuns.

Mais importante ainda: os autores analisam e comparam os hábitos dos milionários com os de pessoas que, embora ganhem muito dinheiro, não alcançaram essa condição.

Há vários casos de não-milionários que ganham muito mais do que pessoas que acabaram se tornando milionárias. O que, então, os diferencia?

Consumo

Os padrões de consumo fazem com que algumas pessoas sejam Prodigiosas Acumuladoras de Riquezas (PAR), enquanto outras são Sub-Acumuladoras de Riquezas (SAR), de acordo com a classificação dos autores.

Segundo eles, médicos e advogados têm a tendência de serem SAR, porque vivem em ambientes onde a imagem tem muita importância.

Se um advogado e o dono de uma microempresa de jardinagem têm a mesma renda, por exemplo, é mais provável que o dono da microempresa acumule mais riqueza.

Isso porque ele provavelmente circulará em ambientes onde suas roupas, seu carro e seu estilo de vida não serão tão decisivos para seu sucesso profissional. Assim, seus gastos serão menores e, em consequência, seus aportes serão maiores.

Algumas informações merecem destaque:

– Os milionários dedicam-se a estudar sobre investimentos, e investem aproximadamente 20% da renda familiar.

– 62,4% dos milionários souberam responder quanto a família gastava, por ano, em alimentação, vestuário e moradia.

– Os milionários que não costumam fazer orçamento doméstico adotam a estratégia do “pague-se primeiro”: eles investem em torno de 15% da renda, e vivem com o resto.

– A maioria dos milionários consome com equilíbrio, não gastando seu dinheiro com coisas que, para eles, não são valiosas, como carros de luxo, relógios de marca, roupas de grifes famosas etc.

Outras conclusões são um pouco óbvias, mas sempre é bom ver que os números confirmam nossas impressões:

– É mais fácil acumular riqueza se não morarmos em áreas de alto padrão;

– Existe correlação significativa entre planejamento e acúmulo de riqueza. Isso foi verificado até em investidores com rendas mais modestas!

Milionários fazem orçamentos.

Sim, a maioria dos milionários administra orçamentos bastante detalhados dos gastos de sua família.

Confesso que foi após a leitura de O milionário mora ao lado que passamos a adotar um orçamento doméstico sério.

Antes, era uma adepta do “pague-se primeiro”, e achava que estava tudo bem.

Até estava, mas poderia ser melhor. Controlar as despesas de forma mais comprometida colocou luz sobre gastos que nem sabíamos que eram tão significativos, como estacionamento e tele-entregas.

Aqui em casa, conseguimos reduzir, em média, 20% nos nossos gastos com alimentação após adotarmos o trio orçamento + menu semanal + marmita.

“Ah, fazer orçamento é chato…”

Pode até ser. Mas te garanto que existem coisas bem piores:

  • não poder se aposentar nunca;
  • não poder arcar com um tratamento de saúde que você ou um familiar precisem;
  • viver em constante agonia diante de qualquer notícia de crise, mudanças de governo e outras coisas que estão fora do seu controle.

Aproveite, então, e dê uma chance a você mesmo e sua família! Adquira novas ideias, mude sua maneira de pensar, e suas ações e hábitos mudarão na sequência.

O livro, em português, pode ser comprado em papel. Em inglês, está disponível para Kindle (sem jabá). Vale a pena!

Até a próxima!

Você pode gostar...