O PIOR gasto que você pode fazer: JUROS!

Alguns gastos em nosso orçamento são inevitáveis: comida, aluguel, transporte, remédios, celular/internet…

Podemos até reduzi-los, como já mostramos aqui, mas dificilmente nos livraremos deles.

Outros gastos são evitáveis, mas ainda assim são justificáveis: lazer, roupas, sapatos… Alguns presentes para pessoas amadas em datas especiais.

Um gasto, porém, é INJUSTIFICÁVEL na grande maioria dos casos: pagamento de juros.

Afinal, como diz Carlos Wizard Martins, no ótimo Desperte o milionário que há em você:

Quem entende de juros recebe, quem não entende paga.

Livre-se do gasto mais inútil do seu orçamento

Por que temos que pagar juros?

De uma forma bem resumida, podemos dizer que os juros são o aluguel do dinheiro.

Vamos fazer uma analogia com um apartamento:

Imagine que você tem um apartamento que não está usando, e eu preciso de um lugar para morar.

Você cede o apartamento para eu morar e, em troca, eu pago dinheiro a você.

Com os bancos e financeiras ocorre a mesma coisa.

Moedas tempo juros

Você gostaria de comprar um carro, mas não tem o dinheiro. O banco, que tem, “oferece” esse dinheiro a você.

Como o banco e a financeira não foram criados para fazer caridade, eles esperam alguma coisa em troca. Daí vem os juros que você paga.

E por que os juros são altos?

Basicamente, por dois motivos:

  1. Os bancos e financeiras querem ter lucro. Afinal, como já falamos, eles são empresas, e não instituições de caridade.
  2. Porque os bancos precisam compensar os calotes que eles sofrem dos maus pagadores.

Já reparou que os juros das financeiras e dos cartões de crédito são bem maiores que os dos empréstimos consignados?

Quanto maior o risco de não receber o dinheiro de volta, mais quem empresta tem que “tirar” daqueles que pagam, para se proteger daqueles que não vão pagar. 😉

Ok, mas e por que quem entende de juros recebe em vez de pagar?

Porque quem entende NÃO ACEITA pagar juros. No máximo, paga no financiamento do seu imóvel…

Quem entende de juros e pretende comprar um carro, prefere fazer o seguinte:

  1. Estabelece em quanto tempo pretende fazer a compra, calcula quanto precisaria acumular por mês e vê se isso é viável.
  2. Se não for viável, busca um carro mais barato ou aumenta o prazo para a realizar a compra.
  3. Assim que define quanto pode separar do seu orçamento para comprar o carro, começa a juntar esse dinheiro em um investimento de renda fixa, como a poupança, um fundo DI ou Tesouro Selic, a seu critério!
  4. Se a taxa de juros que o investimento paga é 1%, e no primeiro mês você investiu 100 reais, dali a um mês você terá 101 reais. Os juros, em cada mês, vão incidir sobre o total que está ali investido – assim, o dinheiro vindo dos juros que VOCÊ RECEBE vão aumentando!
  5. Quando está perto de completar o valor, começa a fazer as pesquisas e negociações com as concessionárias. SEMPRE dá para ganhar um desconto.

Veja bem: quem compra à vista gasta menos dinheiro.

Isso porque ele “ganha” duas fontes de “dinheiro extra”:

  1. Os juros sobre o dinheiro que investiu
  2. O desconto porque pagou à vista.

Quem compra parcelado paga mais porque:

  1. Vai pagar o aluguel do dinheiro que pegou emprestado
  2. Não vai conseguir desconto nenhum.

Entendeu?

E isso vale para qualquer compra parcelada, como roupas e eletrônicos.

Então, a não ser que o item seja indispensável para sua vida naquele momento, seja inteligente:

Economize, invista e compre à vista.

Afinal, sempre é bom repetir:

Até mais!

Você pode gostar...